• Dr. Agnaldo Castro

A cicatrização e o sucesso do resultado de uma cirurgia plástica

Atualizado: 14 de jul. de 2021

A ansiedade pelo resultado de uma cirurgia é comum entre os pacientes. Como cirurgião plástico, estou acostumado a lidar com aquela pressa para se ver o aspecto “final” de um procedimento. Acredito que este sentimento é inerente a quem acaba de realizar um sonho. Afinal de contas, a cirurgia plástica é algo planejado por muito tempo e que, finalmente, foi realizado.


O que muita gente não se dá conta é que o próprio paciente tem uma grande responsabilidade no sucesso do resultado final. Seguir as recomendações do pós-operatório é fundamental para que tudo ocorra dentro do esperado.


Já escrevi aqui no meu site sobre os erros comuns no uso da cinta depois da plástica e os sinais de alerta após o procedimento. Hoje, quero falar sobre os cuidados com o processo de cicatrização.



Cicatriz requer cuidado e calma


As cicatrizes são o produto de um mecanismo de reparação da pele em reação a algum trauma (neste caso, a cirurgia). O processo completo de cicatrização pode durar, aproximadamente, entre 12 e 18 meses. Claro que este período varia de paciente para paciente, e nenhuma cicatriz é igual a outra.


O processo depende basicamente de três fatores: das técnicas do cirurgião, dos cuidados do paciente no pós-operatório e, por último, do funcionamento do seu próprio organismo.

Com relação ao componente genético, não temos como prever ou interferir diretamente na sua influência sobre a cicatriz. Mas, normalmente, os pacientes já conhecem o próprio histórico de cicatrização. Por isso, é fundamental conversar sobre este tema antes da cirurgia e informar se existem antecedentes de quelóide ou outras alterações cicatriciais, por exemplo.


Cicatrização: o que depende de você


Cicatrizes sempre existirão, mas com os cuidados corretos podemos melhorar - e muito - o aspecto delas.


Algumas dicas para o seu pós-operatório:


  • Evite esforços físicos, principalmente quando há impacto direto na região operada. Controle a ansiedade e só retome a rotina de esportes depois da liberação do seu médico. Na fase inicial, até mesmo a sua postura pode interferir na cicatrização.

  • Refaça o curativo da maneira como foi indicada e também na frequência estabelecida pelo cirurgião. Mesmo em caso de deiscências (abertura dos pontos), não utilize nenhuma substância ou componente químico (os famosos cremes “cicatrizantes”) antes de ter a devida autorização.

  • Num pós-operatório mais tardio (geralmente após 30 dias), indico a hidratação da cicatriz com gel ou o uso de placas de silicone, a depender de cada caso.

  • Não exponha a cicatriz ao sol, principalmente na cicatriz, pelo tempo acordado com o seu cirurgião.

  • Mantenha uma dieta rica em vitamina C e proteínas. Elas auxiliam no processo de cicatrização.

O papel do cirurgião: as técnicas para ter as melhores cicatrizes


Apesar de ficarem mais discretas ao longo do tempo, as cicatrizes são definitivas. A incisão cirúrgica realizada na pele ativa o processo de reparação do organismo para que tecido cicatricial seja produzido e mantenha o fechamento realizado por sutura ao final da cirurgia. Por isso, boas técnicas operatórias são fundamentais para garantir que as cicatrizes tenham um aspecto satisfatório.

O bom cirurgião saberá planejar pontos importantes para se obter uma boa cicatriz, como a sua localização e orientação dos cortes. No primeiro caso, deve-se dar preferência para áreas mais escondidas, longe de regiões do corpo que tenham ampla movimentação etc. No segundo exemplo, cicatrizes paralelas às linhas de tensão da pele (aquelas que são formadas pela contração dos músculos) dificilmente tornam-se inestéticas (isto é, anti-estéticas ou de mau aspecto), já as que cruzam essas linhas quase sempre são de má qualidade. Desta forma, fazemos de tudo para que elas fiquem mais amenas, fininhas e clarinhas.


Para que a pele não fique muito tensa e para alinhar bem os planos de fechamento da cicatriz, fazemos a sutura em várias camadas, nivelando cada uma delas. Reduzindo a tensão da pele, evitamos que a cicatriz seja “esticada” demais e corra o risco de ficar alargada, dentre outros benefícios. A cola cirúrgica também pode ser utilizada para deixá-la “mais juntinha”, como costumo explicar para os meus pacientes.


Acredite: a cicatriz é necessária


Toda cirurgia envolve uma cicatriz. Costumo dizer que é uma troca. A paciente que busca uma abdominoplastia, por exemplo, tem uma sobra de pele e um afastamento dos músculos abdominais.


Com a plástica, ela terá um contorno corporal muito melhor. Em compensação, haverá uma cicatriz na porção inferior do abdômen, embora ela seja facilmente escondida nas roupas íntimas ou biquíni.


O que o paciente precisa ter em mente é que o bem estar causado pela melhora do contorno corporal deve superar o incômodo causado pela presença da cicatriz, além de saber que temos várias formas de minimizá-la ou deixá-la mais discreta.

Mas lembre-se: apenas um cirurgião plástico membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica pode garantir a segurança necessária para o seu procedimento. Este é o primeiro passo para que a sua cirurgia tenha o melhor resultado possível.


Minha equipe está à sua disposição. Fique à vontade para entrar em contato aqui pelo site e tirar suas dúvidas ou marcar a sua consulta. Será um prazer te atender!



Dr Agnaldo Castro | Cirurgião Plástico

CRM 164631 | RQE 79273