• Agnaldo Castro

Checklist para o pré-operatório

Todos que desejam realizar uma cirurgia plástica têm, claro, grandes expectativas em relação aos resultados. Mas, para isso acontecer, o momento anterior ao procedimento deve ter como ponto central a confiança entre o paciente e o cirurgião. Isso é fundamental para reduzir as chances de complicações e garantir resultados satisfatórios.


Os cuidados adequados com o pré-operatório viabilizam um tratamento mais seguro e com melhores resultados. As recomendações podem variar de acordo com as características e especificidades de cada paciente. Mas, como regra, é essencial um diálogo honesto com a equipe médica.

Fazem parte do pré-operatório da cirurgia plástica algumas etapas, como a consulta de avaliação com o cirurgião plástico e os exames pré-cirúrgicos.


Em geral, existem alguns protocolos a serem seguidos. É como um checklist para saber se você está apto a realizar um procedimento. Além disso, o seu médico irá dar algumas orientações para cuidados que devem ser tomados antes da cirurgia.



Conversa aberta e transparente


Você tem alguma doença ou histórico familiar? Como é sua cicatrização? Fuma ou faz uso de alguma outra droga? Na consulta de avaliação, não deixe de informar qualquer cirurgia que você tenha feito, eventuais complicações prévias com anestesia, o uso de remédios ou alergias.


Os hábitos de vida também devem ser comunicados de forma sincera. Assim, será sugerida a melhor forma de seguir adiante com maiores cuidados.


Hábitos


Em geral, os bons hábitos de vida em relação à prática de exercícios físicos e alimentação saudável são muito importantes para a saúde e os resultados de qualquer procedimento. Não apenas para que haja mais segurança durante a cirurgia, mas também para uma melhor cicatrização e manutenção dos benefícios conquistados com a cirurgia a longo prazo.


Evitar hábitos maléficos à saúde, como o cigarro, álcool e outras drogas, deve ser sempre sugerido pela equipe médica, podendo até mesmo inviabilizar procedimentos quando não suspensos no tempo adequado. Pacientes tabagistas, por exemplo, devem parar de fumar pelo menos 4 semanas antes e 4 semanas após a cirurgia. Quando isto não é seguido, complicações como infecção, necrose e dificuldade de cicatrização ocorrem com maior frequência. Mais uma vez, é importante que nada seja omitido nas conversas anteriores à plástica e que tudo o que foi conversado em consulta seja colocado em prática.

Quase sempre, o pré-operatório deve incluir uma etapa de controle de peso para pacientes que estão com IMC maior do que o recomendado. É importante que o peso esteja controlado nos 6 meses anteriores ao procedimento, uma vez que grandes oscilações comprometem o resultado cirúrgico.


Medicação


O uso de qualquer remédio deve ser informado ao médico antes do tratamento. Isso é fundamental para que o cirurgião possa buscar os ajustes necessários de acordo com o tipo de medicação.


A aspirina (ASS), por exemplo, deve ser suspensa de 5 a 7 dias antes da cirurgia, pois ela provoca alterações na coagulação. O uso de anticoagulantes também deve ser suspenso por aumentar as chances de sangramento. Antidiabéticos orais podem ser substituídos no dia da cirurgia por esquema de insulina conforme necessidade, pensando-se em evitar uma hipoglicemia devido ao jejum pré-operatório, por exemplo. E assim vamos fazendo todos estes ajustes para que o procedimento ocorra com mais segurança.


Alimentação


É recomendado que a alimentação na véspera da cirurgia plástica seja leve, mas não há restrições específicas. O paciente deve seguir no pré-operatório, assim como após o procedimento, uma alimentação balanceada - ela não deve ser hipocalórica (baixo consumo de calorias) ou restritiva, mas sim nutritiva e saudável. Isso vai garantir que organismo tenha aporte nutricional suficiente para um melhor funcionamento, o que certamente influenciará na cicatrização.


Que tipo de exames é solicitado?


Basicamente, são pedidos exames laboratoriais, Raio X e eletrocardiograma. A depender da situação específica do paciente, ou caso haja alteração em algum resultado, podem ser pedidos exames complementares. Além disso, exames de imagem como ultrassom de mama ou abdômen também serão solicitados, de acordo com a cirurgia.


Caso existam comorbidades como cardiopatias ou endocrinopatias (hipotireoidismo, diabetes etc) dentre outras, o ideal é que o paciente passe com o especialista pelo qual é acompanhado para uma revisão. Após a devida avaliação e a realização de exames complementares, caso necessário, um relatório deverá ser realizado liberando o paciente para a cirurgia, estando a doença de base controlada. Em pacientes com lúpus, por exemplo, costumo pedir a avaliação do reumatologista e a sua devida liberação para o procedimento, nos casos em que a doença está estável por pelo menos 2 anos.


Na hora da cirurgia


Se você se sente bem e com a consciência tranquila de que nada deixou de ser conversado com o seu médico, este é o momento apenas de ficar tranquilo! Ah, e também é importante informar à equipe médica caso haja qualquer desconforto ou alteração da saúde. Infelizmente, apesar de todo o cuidado no período pré-operatório, surpresas desagradáveis como uma gripe ou outra infecção às vésperas da cirurgia podem fomentar a suspensão do procedimento.


Marque a sua consulta!


A avaliação de um cirurgião plástico é imprescindível antes de você optar por qualquer cirurgia. Por isso, procure um profissional experiente e que seja reconhecido como especialista.


Nossa clínica está à sua disposição. E você pode marcar sua consulta agora mesmo aqui pelo site. Te espero no consultório!



 

Dr. Agnaldo Castro | Cirurgião Plástico

CRM 164631 | RQE 79273