• Agnaldo Castro

As diferentes cirurgias de mama: descubra qual a sua necessidade

Os seios exercem um fascínio nas mulheres e, como consequência, têm ligação direta com a autoestima e o bem estar. Por terem um papel de destaque na anatomia feminina, as mamas são associadas à feminilidade desde muito cedo. Por isso, percebo que muitas pacientes se incomodam com os próprios seios desde a adolescência.


Apesar da insatisfação se prolongar por anos, ao chegar no consultório pela primeira vez algumas mulheres têm apenas uma certeza: querem mexer nos seios. Talvez este também seja o seu sentimento ao acessar o meu site. Mas você sabe exatamente qual o procedimento mais indicado? Qual a diferença entre eles? Neste artigo quero te ajudar a entender as diferenças entre a mamoplastia redutora e a mastopexia.



Cirurgia plástica: não se pode generalizar


O termo “colocar silicone” se popularizou nos últimos anos. E não é por acaso: é a cirurgia plástica mais popular no Brasil e nós vencemos até os Estados Unidos no ranking dos países que fazem mais plásticas no mundo. Mas nem sempre é apenas “colocar o silicone”: cada caso é um caso e isso é justamente o que mais me fascina na minha profissão!


Mamoplastia redutora: pra quem é indicada?


A mamoplastia redutora é indicada para as pacientes que têm hipertrofia mamária. Como o próprio nome sugere, o cirurgião reduz o tamanho da mama. Isso é realizado por meio da retirada do excesso de gordura, tecido mamário e pele das mamas. A etapa seguinte é a montagem, conferindo à mama seu formato natural de cone, e reposicionando a aréola.


A cirurgia é indicada quando o peso das mamas causa desconforto, como dores nas costas, no pescoço e problemas na coluna. Além disso, claro, pode ser feita também por motivos estéticos, o que é muito frequente no meu consultório.

Para a realização da mamoplastia redutora o ideal é que a mama já esteja completamente desenvolvida, o que acontece por volta dos 17 ou 18 anos. Mas, como sempre, não é regra: pode ocorrer um desenvolvimento acelerado da mama, causando desvio de postura, o que pode ser indicativo de cirurgia antes dessa idade.


Mastopexia: será que este é o seu caso?


A mastopexia é indicada para quem tem flacidez mamária. São pacientes com pouco volume e muita pele. O procedimento permite a elevação das mamas, com o objetivo de reverter o caimento natural dos seios. Portanto, a cirurgia envolve o reposicionamento da aréola e a retirada do excesso de pele. Ocorre o levantamento das mamas até sua posição original, observando-se também a simetria entre elas.



Cabe destacar aqui que a mastopexia clássica não tem como foco alterar o volume dos seios, e sim proporcionar um efeito “lifting”. Porém, repito, cada caso é um caso. Por isso é possível utilizar próteses de silicone quando for necessário, por exemplo. É o caso de pacientes que apresentam pouco tecido mamário ou que, apesar de terem um bom volume, desejam aumentar um pouco mais os seios.


A mastopexia tem relação com as alterações sofridas pela mama ao longo da vida. Isso pode ser resultado das alterações hormonais existentes em fases como a puberdade, gestação, amamentação e menopausa. Além disso, oscilações de peso, fatores hereditários e até mesmo o próprio envelhecimento também influenciam. Com a idade, naturalmente, os seios perdem a sua forma e firmeza.


Mastopexia: fique atenta a essas características da mama

  • Forma alongada e pendente;

  • Perda de forma e volume;

  • Mamilos ficam abaixo do sulco mamário;

  • Mamilos e aréolas apontam para baixo;

  • Pele flácida e aréolas alargadas;

  • Uma das mamas ficou mais baixa que a outra.


Próximo passo: marque a sua consulta


Apenas a avaliação de um especialista reconhecido pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica vai garantir a segurança necessária para o seu procedimento. Por isso, pesquise o sobre o seu médico para ter certeza da sua escolha. E, se precisar, conte comigo e com a minha equipe!



Dr Agnaldo Castro | Cirurgião Plástico

CRM 164631 | RQE 79273

Posts recentes

Ver tudo